largo_trindade_coelho_santa_casa_da_misericordia_8479400319d0

Robin Hood roubava aos ricos, mas em Portugal…

 

A Santa Casa da Misericórdia deverá entrar com 100 milhões de euros, ou mais, no Montepio. Os poderes vigentes convenceram a Misericórdia a capitalizar o Montepio
Na Idade Média, Robin Wood roubava aos ricos para dar aos pobres.
No séc. XXI, em Portugal roubam-se os pobres para pagar os devaneios dos ricos que entram em bancarrota.

Que sentido faz uma instituição como a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa ser agora empurrada pelas forças políticas para salvar o banco Montepio?

A expressão é popular. Ouvimo-la dita pelos mais velhos, vezes sem conta, quando confrontados com pedidos que consideravam despropositados. “O sentido, se a memória não me falha, era sempre no intuito de dizer aos mais novos “isto não é a Santa Casa da Misericórdia, que atende a todos e a todos faz o bem, praticamente sem olhar a meios”, já que o que interessava era socorrer e ajudar, em prol do bem comum. Leia-se por bem comum: apoio à terceira idade, apoio na infância, cuidados domiciliários, apoio na doença e na saúde. Mas, deste rol, não me lembro de alguma vez fazer parte o apoio à banca.

Veja mais em: https://www.dinheirovivo.pt/opiniao/isto-nao-e-a-santa-casa-da-misericordia/#sthash.5wHjQE8M.dpuf

-0

Deixe um comentário

Facebook
Twitter
Google+
Linked In
RSS